Barra de vídeo

Loading...

segunda-feira, 28 de março de 2016

3 melhores treinos de musculação para ganho de massa

 

É fácil ficar confuso sobre quais treinos de musculação devemos adotar. Nas academias os professores passam o mesmo treino “feijão-com-arroz” (que eles consideram o melhor) para todos, e na internet há uma gama tão grande de escolhas que qualquer um fica sem saber o que fazer.
Normal.
A boa notícia é que existem determinados treinos que já passaram pelo teste do tempo e se mostraram capazes de gerar bons resultados para a maioria das pessoas que os usaram.
Não há porque ficar quebrando a cabeça com tentativa e erro.
A partir do momento que você está usando um treino que foi construído com base e que muitas pessoas já tiveram bons resultados, tudo vai depender do seu esforço para conseguir progresso também – independente de você ser natural, ectomorfo ou ter uma genética realmente ruim.
Os treinos de musculação a seguir são os mais usados no mundo inteiro e comprovadamente funcionam. Escolha o que mais lhe agrada e se encaixa em suas necessidades.

Os melhores treinos de musculação

Treino fullbody (corpo inteiro)

fullbody
Treinos de musculação fullbody são conhecidos por serem aquelas rotinas de iniciantes que só funcionam para gerar a adaptação inicial. Ledo engano. Executado do jeito correto, ele funciona muito bem para ganho de massa e força, tão bem que caras como Arnold e seu mentor Reg Park já o usaram.
E tem um bônus.
Considere que às vezes seu trabalho e/ou estudos só vão permitir que você treine duas ou três vezes na semana. Se você está seguindo uma divisão de treino comum (ABCD por exemplo), uma falta na semana vai estragar a continuidade do treino e algum grupo muscular vai acabar sem estímulo.
Nada bom.
Nesses cenários o treino fullbody triunfa. E mesmo que você simplesmente queira experimentar um treino novo para gerar novos estímulos, ele também não desaponta.
No fullbody treinamos todos os grupos musculares no mesmo dia, três vezes por semana e com um ou dois dias de descanso entre cada treino. Usando exercícios compostos para quase todos os grupos.
Porque treinos fullbody funcionam:
  • Força o contato com exercícios compostos livres
  • Constrói uma base de força e massa muscular através do uso dos melhores exercícios compostos
  • Permite amplo descanso para os músculos e articulações permitindo que o próximo treino seja executado 100%.
Quem deve fazer este treino
  • Iniciantes
  • Intermediários
  • Qualquer pessoa que não tenha boa base e força nos principais exercícios compostos

Exemplo de treino fullbody

Dia 1: Segunda-feira
  • Agachamento livre – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Supino reto com barra – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Barra-fixa – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Desenvolvimento com barra (sentado ou em pé) – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Rosca direta – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Abdômen na polia alta – 4 séries de 10 a 12 repetições
Dia 2: Descanso completo
Dia 3: Quarta-feira
  • Levantamento terra – 5 séries de 5 repetições
  • Remada curvada – 5 séries de 5 repetições
  • Supino inclinado – 5 séries de 5 repetições
  • Elevação lateral – 4 séries de 8 a 10 repetições
  • Rosca testa – 4 séries de 8 a 10 repetições
  • Rosca martelo – 4 séries de 8 a 10 repetições
Dia 4: Descanso completo
Dia 5: Sexta-feira
  • Passada – 3 séries de 12 repetições
  • Paralelas – 3 séries de 12 repetições
  • Barra-fixa pronada (palmas virada para você) – 3 séries de 12 repetições
  • Supino declinado – 3 séries de 12 repetições
  • Elevação de gêmeos sentado – 4 séries de 12 repetições
  • Elevação de pernas para abdômen – 4 séries de 12 repetições

Treino upper/lower (superior e inferior)

supino-halt
Treinos de musculação upper/lower funcionam muito bem tanto para ganho de massa como força muscular, pois usa e abusa dos exercícios compostos em uma divisão que permite boa recuperação muscular ao mesmo tempo que usa uma frequência maior que o fullbody. É ótimo para pessoas de qualquer nível de experiência que queiram estímulos diferentes.
Nesta rotina treinamos a parte superior (upper) inteira num dia:
  • Peitoral
  • Costas
  • Ombros
  • Bíceps
  • Tríceps
  • Abdômen
E no outro a parte inferior (lower):
  • Quadríceps
  • Posteriores
  • Panturrilhas
  • Lombar
Descansamos um dia e começamos novamente.
Desta forma podemos treinar vários grupos musculares no mesmo dia sem afetar a recuperação de nenhum deles, e você estará totalmente recuperado quando for treiná-los novamente.

Exemplo de treino upper/lower

Dia 1: Segunda-feira – Upper
  • Supino reto (com halteres ou barra) – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Remada curvada – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Desenvolvimento com halteres sentado – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Barra-fixa ou puxada na polia – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Rosca francesa – 4 séries de 8 a 10 repetições
  • Rosca alternada – 4 séries de 8 a 10 repetições
  • Abdômen na polia alta – 4 séries de 10 a 12 repetições
Dia 2: Terça-feira – Lower
  • Agachamento livre – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Legpress – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Passada – 4 séries de 10 repetições (5 ida/5 volta)
  • Flexora – 4 séries de 10 repetições
  • Elevação de gêmeos sentado – 4 séries de 10 a 12 repetições
  • Elevação de gêmeos em pé (ou no leg) – 4 séries de 10 a 12 repetições
Dia 3: Quarta-feira – Descanso completo
Dia 4: Quinta-feira – Repete o treino upper
Dia 5: Sexta-feira – Repete o treino lower
Dia 6: Sábado – Descanso completo
Dia 7: Domingo – Descanso completo

Treino push/pull/legs (empurra/puxa/pernas)

treinos-de-musculação
Depois do fullbody e upper/lower, treinos de musculação push/pull/legs são um dos treinos mais simples e efetivos que existem.
Por quê ?
Porque permite que você treine em uma divisão ABC ou ABC2x de uma forma que um grupo muscular não afete a recuperação de outro.
Veja bem.
Por exemplo: quando treinamos o peitoral usando exercícios livres também esmagamos trabalhamos os deltoides e tríceps. Em treinos de musculação comuns você eventualmente vai treinar o peitoral muito próximo do deltoide e/ou tríceps, afetando a recuperação de todos, influenciando negativamente a hipertrofia e impedindo que você treine 100% na próxima vez.
No push/pull/legs você treina padrões de movimento em vez de grupos musculares, evitando completamente esse problema.
No dia de push, você treina todos os grupos musculares que empurram, ou seja, o peitoral, deltoides e tríceps – ninguém vai interferir a recuperação de ninguém e no próximo treino você estará completamente recuperado e pronto pra outra guerra.
No pull, todos os grupos musculares que puxam, que basicamente são os músculos das costas e bíceps.
No de pernas, todos os inferiores. E por constituírem metade do corpo, merecem um dia único de treino.

Exemplo de treino push/pull/legs

Dia 1: Segunda-feira – Push
  • Supino reto – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Supino inclinado – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Crossover – 4 séries de 10 repetições
  • Desenvolvimento com barra – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Elevação lateral – 4 séries de 10 repetições
  • Tríceps pulley – 4 séries de 10 repetições
Dia 2: Terça-feira – Descanso completo
Dia 3: Quarta-feira – Pull
  • Remada curvada – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Barra-fixa – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Remada serrote (unilateral) – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Puxada na polia pegada neutra – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Rosca direta – 4 séries de 10 repetições
  • Rosca martelo – 4 séries de 10 repetições
Dia 4: Quinta-feira – Descanso completo
Dia 5: Sexta-feira – Legs
  • Agachamento livre – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Legpress – 4 séries de 6 a 8 repetições
  • Passada – 4 séries de 10 repetições
  • Flexora – 4 séries de 10 repetições
  • Extensora – 4 séries de 10 repetições
  • Elevação de gêmeos sentado – 4 séries de 10 repetições
  • Elevação de gêmeos em pé – 4 séries de 10 repetições
E aqui temos um dilema…
Se você for iniciante, o ideal é seguir o treino exatamente como foi proposto. Se você é intermediário e avançado com consciência corporal, é possível transformar esta rotina de três dias em seis dias.
Ficaria assim:
  • Segunda-feira: push
  • Terça-feira: pull
  • Quarta-feira: legs
  • Quinta-feira: push
  • Sexta-feira: pull
  • Sábado: legs
Quando falamos consciência corporal, queremos dizer que se você treinar seis vezes na semana, você vai saber se o treino está com muito volume para o seu corpo e saberá como alterá-lo sozinho. Se você não sabe ou está com a pulga atrás da orelha, siga o treino exatamente como foi proposto, pois seis dias podem ser demais para a maioria dos iniciantes.

Palavras finais

Estes treinos podem parecer estranhos àqueles que só conhecem as rotinas divididas comuns (ABC, ABCD, ABCDE, etc…), mas não se engane, as rotinas listadas no texto estão vivas há décadas e são muito difundidas lá fora.
E o melhor: todas elas permitem amplo descanso e tem maior potencial de gerar resultados em pessoas que não usam hormônios.
Entenda.
Os treinos de musculação mais comuns que conhecemos surgiram a partir dos fisiculturistas e foram amplamente difundidos pelas revistas de musculação através das décadas.
Hoje sabemos que fisiculturistas de elite não são pontos de referência para naturais, pois esteroides anabolizantes facilitam a hipertrofia a partir de qualquer estresse mecânico.
Em outras palavras, fisiculturistas usando esteroides vão crescer virtualmente usando qualquer tipo de treino.
Nós, no outro lado extremo da moeda, não iremos.
Claro, você pode ter resultados com as divisões comuns, mesmo sendo natural, e isso é ótimo. Contudo, caso você tenha notado que não há progresso visível há algum tempo, dê uma chance sincera a algum dos treinos listados no texto, você não vai se arrepender.
E caso você não tenha experiência de treino ainda, lembre-se de consultar um professor antes de iniciar qualquer rotina nova.
Boa sorte!

Nenhum comentário:

Postar um comentário