Barra de vídeo

Loading...

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

MUSCULARIDADE X TAMANHO

[wp-review]
“Bom dia, eu gostaria de virar um cubo de carne…”
Normalmente ouvimos o pessoal dizer que quer ficar Grande, ENORME, GIGANTE, mas será que alguém sabe mesmo o que é ser assim? Eu costumo raciocinar que, se o problema fossem números, campeonatos de fisiculturismo seriam decididos com peso, altura, circunferências de braço e antebraço, tronco e cintura, quadril, coxas e panturrilhas, tamanho do pé e percentual de gordura corporal todos escritos numa sumula, colocada esta em envelopinhos e jogados na mesa como se fossem cartas de Supertrunfo (alguém se lembra desse jogo?…) ou como se alguém fosse gritar: “TRUCO! Meu bíceps e maior, ganhei!”.
O físico bonito e admirável também não e assim… Não e uma questão de números… Quando eu fui competir há alguns anos, lembro‑me de olhar no espelho e pensar: “nunca imaginei que poderia ficar tão musculoso e grande!” – achava mesmo que nunca conseguiria… As vezes estou 10kg mais pesado que no dia, com 4cm a mais de circunferência de braço, no entanto, e hoje posso aparecer 10kg menos musculoso com um braço 10cm menor em circunferência…
É natural no fisiculturismo associar uma imagem a determinados números: quem nunca quis chegar aos “três dígitos” ou ainda pensou como seria legal “ter 41cm de braço” (e aos 41 querer chegar aos 43 e aos 43 querer chegar aos 47 e quando chegou aos 50 ficar sem referencia…). Para você ver que físico bonito não pode ser numerado! Buscar números não é o bacana. Bacana é usar os números para nortear seus ganhos, mas nunca como objetivos…
A dica é a seguinte: use o espelho para definir a meta, mas NUNCA use para pautar o acompanhamento dos seus ganhos. Acompanhe por números que são formas objetivas de avaliação, assim você terá precisão no acompanhamento e saberá o que mudar. Avalie depois no espelho os rumos daquilo que os números significam. Dai a coisa fica interessante.

Na nossa rotina, eu e o Rodolfo (Peres – nutricionista) avaliamos nossos pacientes de forma objetiva, forma e função. Dessa maneira sabemos orientar o que precisa ser valorizado e direcionar a mente da pessoa para aquilo que o treinador dela observa, só que acaba por ter dificuldade de explicar porque o tempo de treinamento é muito reduzido, ou porque no ambiente da academia, junto a todos os outros praticantes, fica difícil se fazer crer com o aluno se comparando a todo momento e creditando ao bom resultado de um braço maior ou um peitoral mais volumoso todo o sucesso de um treinamento.
Muitas vezes ter 100, 110 ou ate 120kg como o fulano ou o beltrano não é o que vai resolver o seu problema, bem como ter um braço volumoso não vai fazer você parecer mais musculoso… Preste atenção as desproporções que são agradáveis ao olhar… Se treinar “peito e bíceps” resolvesse o problema de ter um físico bonito, não haveria nomes como Tom Platz, famoso por membros inferiores impares ate hoje, ou ainda Dorian Yates, muito provavelmente o maior dorsal da história.
Há estatísticas que estimam que o homem praticante de musculação demora até cinco anos, depois de iniciados seus treinamentos, para começar o treinamento de membros inferiores. Portanto, quando o seu treinador insiste que você tem de treinar coxas, é por uma muito boa razão…
Quer ver como o que eu estou dizendo não é o mesmo clichê barato da turma da dor de cotovelo? Quantas vezes você ouviu a sua namorada falar que aquele jogador de futebol peladeiro que não treina nem a pancada tem coxas bonitas? E pior: quantas vezes você, estando dirigindo com uma menina ao lado, a viu elogiar o físico daquele catador de papelão do bairro, que passa os dias sem camisa e que, apesar de não fazer um abdominal sequer ou tomar qualquer tipo de suplemento, tem um abdômen mais gomado do que o seu? Sabe por que isso ocorre? Porque estas pessoas acabam desenvolvendo seu corpo por igual em alguns lugares e diferente em outros lugares… No caso do jogador de futebol, como ele não trabalha membros superiores para volume, na comparação membros superiores com membros inferiores fica parecendo que ele tem coxas mais bem trabalhadas que as suas, que podem até ser maiores, mas que não parecem porque a desproporção membros inferiores e membros superiores é muito grande…
Preste atenção no que o seu treinador diz: faça o que você não sabe fazer. Aposto contigo que faz anos que você treina AB-pausa-AB sem resultado… (que nada mais é que o famoso “ABCABC” sem treinar o C, porque se tem um dia que o povo mata a academia é o dia de ombro e coxas… E se tem um dia que fulano não quer treinar nem sob ameaça é no sábado…). Escute o professor porque estas desproporções que ele é capaz de criar avaliando seu físico e elaborando o seu treinamento é o que vai dar a você uma sensação de físico bonito precoce, ainda que você não tenha todo o volume que gostaria.
Físico bonito é um físico com as proporções ajustadas para tal. Se você treinar tudo igual, além de se sujeitar a lesão, vai parecer uma geladeira de carne (dependendo da altura, vai parecer um frigobar…).
Abração e muita saúde (com muita performance, é claro…)!
Texto extraído da Revista M&F edição 79
FONTE: http://www.musculacaoefitness.com.br/muscularidade-x-tamanho/

Nenhum comentário:

Postar um comentário